quarta-feira, 29 de abril de 2015

O artista

Marcos era conhecido na cidade como "Artista", ele não entendia de atuação mas suas mãos hábeis conseguiam tornar a mais rude pedra em uma obra prima. Ele era dono de uma joalheria da cidade e todas as joias que lá estavam a venda foram feitas por ele, desde brincos com formas complexas que remetiam as ondas do mar feito em ouro e pedras preciosas até coisas mais simples como o pequenos anéis de aço com minúsculas gravuras de formas que lembravam montanhas e o por do sol, Marcos era um artista nato. mas sua grande paixão eram as cores das pedras preciosas, o verde da Jade, a luz que brilha no diamante formando um arco-íris enfim, ele era apaixonado por essas pedras preciosas e tudo que remetia a elas. Ninguém entendia o porque de tal artista que poderia facilmente fazer seu nome mundo a fora se contentava em ficar naquela pacata cidadezinha do interior e quando perguntado ele sempre dizia "Me contento com minha arte e ela me basta, a fama e fortuna não tem nada haver com felicidade".

Toda sexta a noite Marcos fechava a loja mais cedo, pegava seu carro e descia ao litoral, ele costumava passar o fim de semana em sua casa de praia onde se isolava de todo o mundo e bebericar em um bar perto do porto da cidade, e como de costume era sexta feira e ele seguiu religiosamente sua rotina. Depois de deixar suas coisas na casa de praia, se dirigiu ao bar, o local era um barzinho de litoral, onde pescadores e todo o tipo de pessoa frequentava, Marcos passa pela porta do bar e vai até o balcão e fala "Boa noite Zé, o de sempre" então o gordo dono do bar, um homem carrancudo com uma longa barba preta e que cheirava a suor e peixe pega um caneco e coloca sua melhor cerveja no recipiente e fala "Já achou algo que lhe agrade meu jovem?" Marcos então responde "Ainda não! Mas a noite só esta começando." e quando ele se vira ele vê entrando pela porta uma linda jovem, cabelos loiros, olhos verdes e um sorriso acolhedor, ela usava um shorts jeans e uma camiseta de alguma banda de rock, ela vai direto ao balcão do bar e pede uma Vodka, então marcos se vira e fala "Posso pagar essa para você?" a jovem olha no fundo dos olhos de Marcos e fala "Tenho dinheiro, pode ficar com o seu!" Marcos se sentiu mais atraído pela jovem, enfim um desafio para ele, então ele se vira e fala "Então podemos conversar? Afinal! Beber sozinho é muito chato." a garota que agora sente uma afinidade com o belo rapaz de cabelos castanhos e olhos escuros como carvão e um rosto que transparece confiança, mas o que lhe chamou a atenção foi o sorriso que era capaz de quebrar uma geleira. Ela então se senta mais perto do rapaz e fala "Meu nome é Marta e o seu?" "Marcos! Você veio aproveitar a praia ou mora por aqui?", conversa vai e conversa vem e Marcos descobre que Marta esta de passagem na cidade, ela esta indo para casa de uma amiga que lhe prometeu emprego e como a viagem dura 4 dias e o carro dela estava quebrado ela teria de passar a noite na cidade.

Era mais ou menos 3:00 da manhã quando saíram do bar, foram os últimos clientes, ambos estavam eufóricos, a paixão e o desejo eram palpáveis, logo se dirigiram a casa de praia.
Chegando lá eles já estavam se beijando, Marta jogou marcos no sofá e logo tiraram suas roupas, Marta tinha uma tatuagem tribal nas costas e logo a noite de luxuria começou, beijos, respiração ofegante e corpos suados, quando terminaram adormeceram, no dia seguinte Marta acorda e tenta se levantar mas algo a impede, ela olha para os lados e vê que esta presa a uma cama parecida com a de hospitais, Marcos esta de pé ao lado dela, ela tenta falar algo mas não consegue, ela percebe que esta amordaçada, ela começa a chorar e se debater, calmamente Marcos chega perto do ouvido dela e fala "Toda linda joia deve ser apreciada e guardada em segurança para que nem o tempo roube sua beleza", Marta então olha envolta e vê um grande armário e lá os corpos de 5 garotas tão belas quanto ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget